as aventuras da amélia


Pica-te Na Europa , 3ª Edição

Ui Amélia, estás toda catita!
Tens um encontro marcado? Onde vais?
Olha eu acabei de chegar dos Picos da Europa. Foi dez estrelas, contudo desta vez quase que tive de tomar comprimidos para a ansiedade!…  😉
Sabes que normalmente gostamos de lá ir no início de Setembro pois é quando o tempo, à partida, tem menos probabilidade de nos pregar partidas… aliás fomos agora na mesma data que o ano passado quando realizamos a primeira edição,pela comemoração do feriado do dia das Asturias.
Mas até aqui tudo bem.
Como sempre costumo fazer, um dia antes de arrancarmos, fui aos sites dos locais para ver a previsão meteorológica e foi aí que começou a taquicardia.
Não, nada disso, o coração  não começou aos pulos por causa das previsões do tempo, embora também não fosse a primeira vez em que isso acontecia.
Na terra dos “ nuestros hermanos” existe um senhor de meia idade, chamado Filipe que foi príncipe das Astúrias e agora é rei, e sabes qual foi a ideia deste rapaz? Eu digo-te!!!
Ah e tal se a Aventura X vai visitar os Lagos de Covandonga no feriado das Astúrias outra vez, eu também vou! E foi mesmo isto que ele fez. Mandou fechar o trânsito, ninguém podia ir aos Lagos pois ele ia lá com a família!
A pé?! Estás maluca Amélia! Sua majestade levou a sua família de helicóptero e ainda levou para lá a “vuelta”, tudo no mesmo fim-de-semana, o “NOSSO” fim de semana!! Mas desenganem-se os Filipes porque não conseguem dobrar os Tugas!
Pára de me fazer sinais de luzes se faz favor, eu sei que os Picos da Europa são um destino único e que estás ansiosa para saber como foi, mas calma porque até chegar a Cangas de Onis, ainda demora bem umas 11 horas de viagem. Vês Amélia, é por isto que não te posso levar, mas vou contar como tudo aconteceu.
No primeiro dia de viagem, paramos em Salamanca. Uma cidade linda, cheia de história e edifícios antigos bonitos e inspiradores,  as ruas de Salamanca fazem-nos  sentir que ali, naquelas ruas já se viveram muitas épocas da história de Espanha.
Como manada a tradição fomos tentar encontrar a rã porque ninguém quer ter uma má estadia nos Picos. Sim, nós adaptámos a história da rã de Salamanca à nossa estadia nos Picos, depois o céu estrelado de Salamanca,  e Amélia, acredita que vale a pena .
Claro não seguimos viagem sem comer uns bocadilhos de jamón,  beber umas cañas,  e passear pelas ruas desta cidade única.
Depois foi hora de seguir viagem. Sabes, uma das coisas que dá para fazer neste tipo de aventuras em que vamos de Amélia grande (o nosso mini bus), é que podemos ir a idealizar novas Aventuras… e sempre que passamos Somiedo, é nisso que penso!! Em breve vamos lá 🙂
Chegar a Cangas de Onis é sempre uma sensação de paz porque o Parque Natural dos Picos da Europa é um local mágico para quem gosta de actividades na Natureza  e porque sabes que no dia seguinte será o início de uma Aventura épica, percebes-te? épica porque é nos Picos.
Melhor piada de todos os tempos, não foi Amélia? O quê?! Seca?! Vai mas é por água no radiador !!!
E por falar em água, lá fomos nós até aos Lagos de Covadonga logo no dia seguinte. Que local mágico, a envolvência das montanhas, os lagos, o verde dos prados e os bosques fazem deste trilho uma memória que nunca mais se esquece.
Claro que não podemos abandonar os lagos sem visitar as minas e parar para comer um caldo de galinha quentinho. Pois Amélia ainda bem que perguntas, então não é que há sempre alguém que pede um queijo “cabrales”, e isto sim é daquelas coisas que nunca vou perceber, há lá gente para tudo Amélia.
Antes de ir até Cangas de Onis, mais um grande momento desta viagem, a visita a Covadonga! Que lugar encantador!
Não te consigo explicar a sensação, mas que naquele local existe uma energia muito boa, existe, não sei será por ser o local onde os Cristãos venceram os Mouros, pela primeira vez na Península ibérica, e claro que ganhou um significado muito importante por isso.
O santuário, a Santa Cueva e toda a sua envolvência, as histórias e as lendas deste lugar único e carregado de simbolismo, fazem sempre querer lá voltar uma outra vez.
Mas não fomos aos Picos para ficar só por Covadonga, até porque mais uns minutos e tínhamos que de nos cruzar com o tal do Filipe, e já chega as figuras que fizemos para a televisão Espanhola 😉
Ao terceiro dia, é chegado o momento de conhecer um dos trilhos mais bonitos de sempre: a Ruta del Cares. Amélia agora que estás reformada, tens de tirar uns dias e ir até lá, mais vai com calma! Faz várias paragens para descansar!
Mas tens de fazer como nós! vou te contar um segredo, mas jura que não contas a ninguém.
Ao contrário da maioria das pessoas que visitam a Ruta del Cares, nós iniciamos o caminho na Posada de Valendon, fazemos aproximadamente 22km até Poncebos. E deixa-me que te diga Amélia, é assim que tem que ser! Assim faremos sempre! Porque todo este percurso é de cortar a respiração.
Não fazer esta primeira parte seria perder paisagens únicas, trilhos verdejantes que seguem o rio de Cares entre as cordilheiras da montanha e onde parece que os picos da montanha “rasgam” o céu  e  obrigam as nuvens a desviarem-se. Tudo isto rodeado do verde das paisagens, o som da água cristalina que corre, e o cinzento e castanho das montanhas, é uma imagem única e sem igual.
Depois da paragem para a bela da cidra em Caín, é hora de conhecer a parte mais conhecida da Ruta del Cares: a parte da garganta. E aqui Amélia, é um trilho de arrepiar, não há igual.
A garganta, o desfiladeiro, o rio que corre desenhado na montanha, o verde da vegetação a fazer contraste com o cinzento da montanha, um trilho escavado na rocha e a sensação que parece que vais tocar na nuvens, faz deste percurso, uma aventura sem igual.

Sabes o que te digo Amélia, quando acabamos a rota del Cares e chegamos ao bar de Poncebos, nem preciso de falar com eles…como sabes sou sempre o último – não é nada devido ao peso da  barriga!! não sejas inconveniente! é para não deixar ninguém lá ficar porque o trilho dá vontade.

Mas como te dizia antes dessa tua piadinha, quando chegas junto do grupo, a emoção é tanta que apenas perguntas se estão todos bem para saber se há algum tipo de mazelas, porque o sorriso deles, as gargalhas, o olhar que brilha, diz tudo.
E como ambos sabemos Amélia, só assim faz sentido.
E como tudo o que é bom passa a correr, está quase a acabar. No entanto ainda vamos conhecer um pouco de Ponferrada , ver o castelo e as suas ruas, e olha que até deu para ir a um bar de música ao vivo.
Vou-te contar um segredo: ainda hoje estou a para perceber se as músicas que ouvimos eram covers de músicas espanholas conhecidas ou músicas mundialmente conhecidas em espanhol!!!
Antes de regressar a Lisboa,  seguimos sempre até Las Medulas.
É uma zona de antigas escavações romanas com um magnífico contraste de cores que nos cortam a respiração. Sim também graças à impiedosa subida até ao miradouro, mas não me referia a isso.
O laranja das montanhas arenosas, com o verde das folhas dos castanheiros e o castanho dos seus largos e envelhecidos troncos transportam-nos para um mundo mágico.
Amélia, esta aventura de quatro dias deixa-me sempre a sensação que me transporta entre as diferentes épocas da História, faz me imaginar a batalha em Covadonga, os Romanos nas Medulas e a exploração do ouro e o seu transporte até Roma,  passando pela ponte romana de Covadonga.
Há quem diga que se chamam Picos da Europa porque no mar eram um ponto de referência, e ao ver as montanhas sabia que se aproximavam da Europa, gosto de imaginar que sim.
E tu Amélia, como foi a tua semana? Porque estás toda arranjadinha? Onde vais?
Amélia, não comeces, ambos sabemos que não podes ir, não comeces.
Sim é verdade para a semana vou para o Douro Internacional e não, tu não vais.
Ambos sabemos que foste ao Douro Internacional duas vezes e não querias regressar, e ainda não mas explicas-te porquê.
Sim Amélia, é preciso relembrar-te que da primeira vez rebentaste um pneu e na segunda foi o tubo do intercooler, pois eu não me esqueci.
Queres voltar a ver o Douro Internacional,  eu prometo que depois te conto como foi e vais ver que é como se tivesses ido também.
Bom descanso Amélia
#momentosaventurax #momentosqueficam #timetogo #loveportugallikeus #aventurax #portugaloutside

4 thoughts on “E de novo um “Filipe” tentou fazer frente aos Tugas…

  1. Amélia o Miguel deixou de fora a Cecina porque não gostou. Havias de ver a careta que fez ao experimentar. Mas olha que é um verdadeiro petisco… só não o é para todos 😉. Mas Amélia, apesar da bela prosa do Dr.Miguel, a beleza daquelas paragens é indescritível. Só estando lá para nos maravilharmos com tudo o que há para conhecer e que é muito. Havemos de ir lá outra vez Amélia e esperemos que seja mais cedo em vez de mais tarde.🙂

    1. É verdade já nem me lembrava dessa parte , que cena má , esse bocado de carne!
      Vamos sim, mas sem a carne 🙂

  2. Fantastica viagem que pude fazer através de mais uma bela crónica… e que fotos!!!!!! 🙂
    Também gostei muuuitooo das experiências e trekkings nos Picos da Europa em 2016 🙂
    abraço e até breve

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

RNAT 196/2015

RNAVT 7016