as aventuras da amélia


Amélia?!… sabes, esta noite voltei a sonhar contigo…e agora chegou mesmo a  hora!
Escusas de fazer essa cara este sonho foi dos bons! vais ver!

Então vá, está na hora, mochila feita?!
Sim!
As bolachas já estão?! o Chá e o café?!
Está tudo!Os bastões?! Ah pá, esqueci-me disso outra vez, vá juro que levo na próxima.
Amélia? Estás pronta? Então vá #timetogo.
Ligar motores, apertar os cintos e lá vamos nós, para o infinito e mais além !! Ou então não, mas a emoção é a mesma seja até ao infinito ou seja só até ali a Sever do Vouga.
Já chegamos?! Já chegamos?!
Sim, Amélia já estamos em Lisboa e lá vêm eles, os nossos companheiros de Aventura.

Já reparaste que apesar de ser bem cedo o pessoal vem com ar animado e cheio de “pica”, então vá, ‘bora lá aproveitar as boas energias.
Amélia, próxima paragem Sever do Vouga, ali para os lados da Cascata da Cabreia.
Sim vamos caminhar entre minas antigas, ver cascatas, seguir o trilho e sentir a frescura de uma cascata com 25 metros de altura.
Amélia, agora enquanto descansas eu vou com eles , ok?
É pá, ainda bem que não viestes, então não é que um primo teu, um Mercedes se armou em UMM e olha, ainda bem que o Sérgio veio e que ainda não tínhamos começado.
Pois lá tivemos de o empurrar, apesar de todo o aparato correu bem, e até deu jeito, fizemos logo a pausa maravilha para almoço.
Agora sim, é hora de seguir o rio Mau, e ver se encontramos as minas, aquelas que outrora os Romanos exploraram.

Já chegaram?! Então este ano vieram mais cedo? Então e como correu a viagem?

Não Amélia, não estou a falar contigo, estou a falar com as Andorinhas.
Sim, já chegaram. Já voam por cima das nossas cabeças, e também as flores  já procuram o sol e as árvores já começam em florir.
Impressionante, sabias que estas minas já tiveram centenas de pessoas a trabalhar? E hoje olha , a natureza voltou a conquistar aquilo que já foi dela, olha como a hera trepa pelas paredes, como já há vegetação a nascer dentro das casas, brutal.
Vá, vamos seguir o caminho e  lá está ela, a cascata da Cabreia, que força.


O barulho da água a correr é tão forte que se torna assustador, mas não é preciso te assustares Amélia, olha como é bonito o arco íris que o vapor de água faz quando recebe a luz do sol, parece aqueles livros de contos e histórias que quando abrimos fazem um arco íris entre as capas.
O dia já vai longo e este belo jantar à moda de Arouca, ainda por cima com direito a bolo de aniversário e digestivo, caiu-me na fraqueza…  está na hora de ir descansar, amanhã o dia promete.

O quê? Que tens Amélia? Estás Ansiosa? Que se passa?
Ah ah ah, já percebi, estás com o motor aos pulos, calma, vais gostar.
Eu sei o Paiva ao início assusta, é um rio de montanha e corre com força durante o Inverno, mas olha só tens de saber qual a tua direita e a tua esquerda e depois é trabalho de equipa,acredita que vais adorar cada rápido, cada salto, cada bonzai, e vá Amélia vou te contar um segredo eu também já gostava que fosse amanhã 😉

Apesar dos incêndios de verão, o rio e as suas montanhas estão lindos, que cenário.
E a cor desta água, sem palavras, para não falar na espuma branca natural que a rapidez das águas fazem, é pá está na hora, isto vai mesmo acontecer, vamos lá pegar na pagaia e como diz o Rafael (aquele senhor que percebe disto), vamos lá ao que viemos.

E foi mesmo isto, sentir cada rápido, sentir a adrenalina de cada segundo, conquistar aquelas ondas que as rochas fazem cheias de vontade de nos virar o barco.
Mas sabes Amélia, nem o rápido dos três pulinhos, nem o das pedras cuspideiras, ou o da parede, o do S, nos derrubaram. Desta vez nós é que conquistamos o Paiva  ou então não, ele é que nos conquistou desde o primeiro minuto. Desde o momento em que chegamos e ele nos mostra a sua beleza, em que nos desafia para o navegar e que parece chamar por nós  mesmo quando já estamos cá fora depois de uma aventura que vai ficar para sempre na memória de todos.

Uma das características do #Paiva é que a seguir a um rápido há sempre uma zona calma onde podes relaxar ou baixar os níveis de adrenalina até ao próximo. Mas da próxima vez Amélia, sempre que parares nestas partes mais calmas, aproveita para olhar para trás, acredita que essa imagem nunca mas nunca mais vai sair da tua cabeça, podia estar aqui a tentar descrever , dizer-te que é lindo ver o rio a correr a alta velocidade entre as montanhas verdejantes e cheias de cor, mas esta é uma das poucas vezes na vida que te digo, por mais que se escreva, não se consegue descrever aquela imagem, só vendo.

 

 

É pá e a fome que isto dá?

Ainda bem que estamos na zona de Arouca, venha lá mais uma das refeições das boas, daquelas típicas que nos fazem sempre comer, comer e comer. 🙂

Vá Amélia, é hora de voltar, e não te preocupes que eles agora adormecem e nós podemos ir descansados 🙂

Xiça, já sei tens razão, fiz asneira, voltei a colocar aquela play list maravilha de karaoke e eles não adormecem e nem param de cantar, mas vá Amélia ambos sabemos que só assim faz sentido, e que o trabalho foi bem feito, eles vão felizes!

“Há gente que faz parte da história da Gente”!

Até Breve

#momentosaventurax #momentosqueficam #timetogo #aventurax #loveportugallikeus #portugaloutside

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

RNAT 196/2015

RNAVT 7016

Livro de reclamações on-line.